quinta-feira, 12 de agosto de 2010

eu chego já



A memória mais antiga. O aconchego mais quente. A certeza da certeza da certeza. Os olhos fechados ao sabor da canção na voz pequenina de alma tão forte. As histórias de verdade que encantam. Todas as vontades, todos os mimos, toda a aceitação. Tanto cuidado. Tanto alento. Tantos beijos, que fazem tanto bem! Tanto querer-bem. Tantas horas... e vidas...

Os jogos de cartas. O fado. As pessoas antigas. As mornas. As tradições. Os segredos.

E tudo o que há-de vir. Amo-te tanto.

Um comentário :

Roberta disse...

Carol, de vez em quando eu passo por aqui pra ver as novidades. Você escreve com tanta verdade que chega a tocar lá no fundo do coração. Adorei!